Rede dos Conselhos de Medicina
Selecione o Conselho que deseja acessar:
Reunião na APM discute hiperparatireoidismo primário Imprimir E-mail
Ter, 02 de Agosto de 2011 13:02

A Reunião Científica do Departamento de Cirurgia de Cabeça e Pescoço da Associação Paulista de Medicina (APM) de 3 de agosto, das 20h às 22h, discutirá o hiperparatireoidismo primário (HPTP), distúrbio causado pela associação do cálcio sanguíneo elevado a um aumento inapropriado da secreção de paratormônio (PTH).

Segundo o dr. Nicolas Ahumada, médico residente de Cirurgia de Cabeça e Pescoço da UNIFESP /EPM e dr. Murilo C. das Neves, médico assistente da Disciplina de Cirurgia de Cabeça e Pescoço da UNIFESP /EPM, o hiperparatireoidismo primário é uma doença comum, mas 90% dos casos ainda permanece sem diagnóstico, conforme apontam trabalhos recentes.

“A doença tem uma evolução insidiosa, com sintomas brandos, que podem passar despercebidos por anos. Mas o ideal é que o diagnóstico seja feito o quanto antes, para evitar complicações graves”, explica dr. Ahumada.

Diagnóstico - O diagnóstico é feito com base nos níveis de cálcio e de PTH no sangue. “Vale ressaltar a importância da dosagem rotineira de cálcio para o diagnóstico precoce em pacientes minimamente sintomáticos e que não apresentam lesões de órgãos-alvo”, alerta dr. Ahumada.

A realização do diagnóstico é simples, explica dr. Ahumada. “Basta ao médico solicitar uma dosagem de calcemia junto aos exames de rotina do seu paciente, que deverá ser confirmada com uma dosagem do PTH”.

Sintomas e estatísticas - Atualmente, a maioria dos pacientes acometidos pela HPTP tem sintomas mais sutis, como fraqueza, cansaço, depressão e outros sintomas psiquiátricos como, alterações do sono, perda de peso, dores e fraqueza muscular, constipação, dores abdominais, dores ósseas e articulares.

Nos Estados Unidos, a estatística gira em torno de 27 casos para cada 100 mil habitantes; na Europa, esse número sobe para 3 a cada mil habitantes. Considerando somente o grupo de mulheres pós-menopausa (entre 55 e 75 anos), o valor é maior: 21 para cada mil, que representa quatro mulheres para cada homem, na Europa.

“Estudos baseados na dosagem rotineira de cálcio mostram uma incidência na população geral de até 0,3%, chegando a 1% no grupo de mulheres acima do 60 anos”

Reunião Científica do Departamento de Cirurgia de Cabeça e Pescoço

Tema: Hiperparatireoidismo primário
Data: 3 de Agosto de 2011
Horário: 20h às 22h
Local: Auditório da APM - Av. Brigadeiro Luís Antonio, 278 - São Paulo/SP
Informações: (11) 3188.4281

Fonte: APM

 
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner

© PORTAL MÉDICO 2010 - o site do Conselho Federal de Medicina -Todos os direitos reservados
SGAS 915 Lote 72 | CEP: 70390-150 | Brasí­lia-DF | FONE: (61) 3445 5900 | FAX: (61) 3346 0231| E-mail: cfm@portalmedico.org.br | CNPJ: 33.583.550/0001-30